Views: 134,223
Comments: 0
Posted: 2007 05-28
59%

Track

Artist or Show

You are not currently tracking Os Paralamas do Sucesso

this artist

You are not currently tracking Rock in Rio

this show

Check

Artist Vitals
Total Clips8
Active Streams8
Missing Streams0
Commercially Available0
Trade-Friendly0
Unavailable8
Artist RP RankingN/A
If you are a copyright holder of this video and believe that this content infringes your intellectual property rights, please submit a Notice of Claimed Infringement.

XDisclaimer

This video is provided and hosted from a third-party server. RockPeaks is not responsible for any activities originating with such third-party server. If you believe this linked content infringes your intellectual property rights, please click the flag icon above and follow the instructions.

YouTube Uploader: Zekitcha2
Zekitcha2

Apesar dos Параламас serem considerados parte da "Turma de Brasília", por terem vivido e criado amizade com as bandas locais, é uma banda formada no Rio. Ерберт e Bi se conheceram crianças em Brasília, por serem vizinhos (o pai de Ерберт era militar, e o de Bi, diplomata). Em 1977, Ерберт foi para o Rio fazer o colégio militar, e reencontrou Bi. Os dois resolveram formar uma banda, Ерберт com sua guitarra Fender e Bi (que nunca tocara nada) um baixo comprada em uma viagem na Inglaterra. Aos dois depois se juntaria o baterista Vital. O grupo se separou em 1979 para fazerem o vestibular, e em 1981 se reuniram.
O grupo ensaiava na casa da avó de Bi (o que inspiraria a música "Vovó Ondina é Gente Fina") e num sítio em Mendes, interior fluminense, e tocava em locais pequenos. O repertório não era sério (com canções como "Pingüins já não os vejo pois não está na estação", "Mandingas de Amor" e "Reis do 49"), e tentaram criar um nome no mesmo estilo, a primeira sugestão sendo "As Cadeirinhas da Vovó". O nome "Параламас до Сусэсо" foi invenção de Bi, e adotado porque todos acharam engraçado. Inicialmente o grupo tinha dois cantores (Ерберт só tocava), Ronel e Naldo, que saíram em 1982.
Em 1982, Vital faltou a uma apresentação na Universidade Rural do Rio e foi substituído por João Barone, que assumiu de vez o lugar na banda. Escreveram, tendo como "protagonista" seu ex-baterista, "Vytal e sua Moto", e mandaram uma fita com essa e mais 3 músicas pra Rádio Fluminense. "Vytal" foi muito tocada durante o verão de 83, e os Параламас tiveram a primeira grande apresentação, ao abrir para Lulu Santos no Circo Voador. Também assinariam contrato com a EMI, gravando o álbum Cinema Mudo (definido por Ерберт como "manipulado pelo pessoal da gravadora"), e um sucesso moderado.
Em 1984, lançaram o álbum O Passo do Lui, que teve enorme sequência de sucessos ("Ókulos", "Мой Erro", "Mensagem Amor", "Romance Ydeal") e aclamação crítica, levando o grupo a tocar no Рок ин Рио, no qual o show dos Параламас foi considerado um dos melhores.
Depois de grande turnê, lançaram Selvagem? em 1986. O álbum contrapunha a "manipulação" desde sua capa (com o irmão de Bi no meio do mato apenas com uma camiseta em torno da cintura), e misturava novas influências, principalmente da MPB. Com sucessos como "Alagados", "A Novidade" (a primeira com participação de Gilberto Gil, e a segunda co-escrita com ele), "Melô do Marinheiro" e "Você" (de Tim Maia), Selvagem? vendeu 700.000 cópias e credenciou os Параламас a tocar no cultuado Festival de Montreux, em 1987. O show no festival da cidade suíça viraria o primeiro disco ao vivo da banda, D. Nele, a novidade, em meio ao show com os sucessos já conhecidos, era a inclusão de um "4º Паралама", o tecladista João Fera, que excursiona com a banda até hoje, como músico de apoio.
Os Параламас também fizeram turnê pela América do Sul, ganhando popularidade em Argentina, Uruguai, Chile e Venezuela.
O sucessor de Selvagem?, Bora-Bora (1988) acrescentou metais ao som da banda. O álbum mesclava faixas de cunho político-social como "O Beco" com as introspectivas "Quase Um Segundo" e "Uns Dias" (reflexo talvez da separação de Ерберт com Paula Toller). Bora-Bora é tão aclamado pela crítica quanto O Passo do Lui.
Big Bang (1989) seguia o mesmo estilo, tendo como hits a alegre "Perplexo" e a lírica "Lanterna dos Afogados". Seguiu-se a coletânea Arquivo, com uma regravação de "Vytal" e a inédita "Caleidoscópio"(antes gravada por Dulce Quental, do grupo Sempre Livre).
O começo da década de 90 foi dedicado às experimentações. Os Grãos (1991), disco com enfoque nos teclados e menor apelo popular, não foi bem nas paradas (apesar de ter tido 2 sucessos, "Trac-Trac" - versão do argentino Fito Paez - e "Tendo a Lua") e nem vendeu muito, algo que também pode ser atríbuido à grave crise econômica pela qual o Brasil passava. Após uma pequena pausa (na qual Erbert lançou seu primeiro disco solo), o trio retorna aos shows, que continuavam cheios, embora a banda passasse por fortes críticas da imprensa. No fim de 1993, a banda viaja para a Inglaterra, onde, sob a produção de Phil Manzanera, gravam Severino. O álbum, lançado em 1994, era ainda mais experimental, com arranjos muito elaborados, e foi ignorado pelas rádios e grande público, vendendo 55 mil cópias.
Mas se no Brasil os Параламас estavam esquecidos, no resto da América eles eram ídolos. Параламас (1992), coletânea de versões em espanhol e Dos Margaritas (a versão hispânica de Severino) estouraram principalmente na Argentina.

Complete Video List

Sort By:
          Enter your Rock Peaks username.
          Enter the password that accompanies your username.
          Forgot Password?
           

          Not a Member Yet?

          Join

          It's Free!

          PauseReplay